Construção Civil e Segurança do Trabalho

Construção Civil: Segurança do Trabalho negligenciada em obras públicas

Apesar de nos últimos anos muita coisa ter melhorado, o setor da construção civil e obras públicas continua sendo o que, no nosso país, mais contribui para os números dos acidentes de trabalho em geral, e dos mortais em particular. Informações como essa tornam explícita a necessidade de se tratar a Segurança do Trabalho com mais seriedade no Brasil e de um esforço coletivo no sentido da reduzir os acidentes no ambiente de trabalho.

Um relatório da equipe de fiscalização das obras para as Olimpíadas do Rio 2016, por exemplo, aponta que 11 operários já morreram durante o expediente, vítimas de acidentes de trabalho na construção civil. Para se ter uma ideia, nas Olimpíadas anteriores em Londres, não foram registradas mortes. Além das mortes, os números são assustadores: quase 1700 autos de infração e 38 interdições e embargos.

Dentre as irregularidades encontradas temos a ausência de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), escavações em áreas de risco, funcionários irregulares, sem vínculo empregatício regularizado ou sem qualificação adequada para realizar as atividades.

Construção civil no Brasil precisa evoluir

O panorama é preocupante. Segundo dados da Previdência Social, aproximadamente 700 mil pessoas sofrem acidentes de trabalho por ano no Brasil. Vale lembrar que esses são números de trabalhadores que comunicam ou solicitam afastamento pelo INSS, ou seja, trabalhadores formais. Portanto, podemos imaginar que o número é bem maior, já que muito casos não chegam a ser registrados.

Esse tema tem se tornado cada vez mais importante por conta da alteração no perfil das atividades econômicas, que levou ao aumento da proporção de trabalhadores em atividades de risco. O avanço da população, da economia e da globalização gera uma demanda de produtos e serviços que precisam ser atendidas. Com mais gente trabalhando, maior a chance de acidentes de trabalho, principalmente em países onde as leis de Segurança do Trabalho não são respeitadas.

Segurança do Trabalho é coisa séria

Quando um acidente de trabalho ocorre no âmbito de uma empresa particular, que desenvolve atividade privada, fica mais fácil lidar com ocorrido, já que empresa possui a responsabilidade de fornecer os EPIs apropriados, capacitar seus colaboradores e averiguar o uso correto durante o expediente. Na maioria das vezes, a empresa é responsabilizada pelo acidente.

Mas o que dizer de acidentes ocorridos em obras públicas? O caso das mortes nas obras de preparação para as Olimpíadas demonstram a falta de planejamento e o descaso com que o poder público brasileiro cuida dos operários que constroem o país.
É fato que, quando falamos em grandes obras de construção civil, o poder público atua através de licitações, abre concorrências para escolher empreiteiras e empresas de construção. Mesmo assim, ele não se ausenta da culpa, já que, teoricamente, deveria haver um rigoroso cuidado por parte do governo para que as empresas selecionadas realizassem todos os procedimentos referentes à Segurança do Trabalho, já que seu próprio nome está em jogo. No entanto, a pressa para terminar as obras, quase sempre fora dos prazos, e o descaso, são maiores do que a preservação da segurança e qualidade de vida do operário.

Segurança do Trabalho deve ser feita por profissionais

Talvez um dos motivos para o Brasil registrar um número tão grande de acidentes de trabalho seja uma questão cultural. Falar em Segurança do Trabalho é falar em prevenção, e sabemos que o brasileiro costuma remediar em vez de prevenir.

É o famoso pensamento do “não vai acontecer comigo” que torna profissionais negligentes e acidentes fatais. É hora de tornar a segurança e a saúde no trabalho parte natural da nossa cultura, incluindo temas relevantes de segurança no trabalho nas escolas e em diferentes níveis de ensino.

É por isso que, se deseja realizar um trabalho sério quanto a Segurança e Saúdo no Trabalho, é necessário contratar uma empresa especializada nesse ramo, com profissionais sérios e capacitados. Muitos pensam que só os EPIs bastam, mas a Segurança do Trabalho vai além, desde campanhas internas de comunicação sobre prevenção e procedimentos, que leva informação aos funcionários, até a modernização dos meios de produção para práticas mais eficientes e seguras.
A Soul Ambiente é especialista em Segurança do Trabalho. Entre em contato conosco e solicite uma visita. Ficaremos felizes em ajudar!