Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE)

O inventário de emissões dos gases de efeito estufa determina quais são as fontes de emissão em uma atividade produtiva e quanto gás elas emitem. É uma maneira de quantificar as emissões de um país de acordo com os critérios internacionais.

O que é um gás de efeito estufa?

Os gases de efeito estufa são aqueles que retem o calor na atmosfera do planeta. Eles absorvem a radiação infra-vermelha que vem do sol e impedem que ela se dissipe pelo espaço. Assim, contribuem para o aquecimento exacerbado do planeta, causando graves alterações climáticas. Esse fenômeno recebe o nome de Efeito Estufa.

Já se sabe que o efeito estufa é um processo natural, pois os gases que o provocam já existem na atmosfera terrestre. A grande questão que preocupa os ambientalistas é a emissão gigantesca de mais gases de efeito estufa pelo homem. As indústrias, os automóveis e outras máquinas que usam combustíveis fósseis, emitem esses gases.

Desde 1990, o MMA realiza medições dos índices de emissões a cada cinco anos, nos seguintes setores: uso da terra e florestas, agropecuária, processos industriais, tratamento de resíduos e energia.

Os principais gases do efeito estufa são:

  • CO2 (Dióxido de Carbono)
  • CH4 (Metano)
  • N2O (Óxido Nitroso)
  • PFC’s (Perfluorcarbonetos)

Para que serve um inventário de emissões de GEE?

O inventário de emissões pode ser considerado o primeiro passo que uma empresa dá para ajudar no combate às mudanças climáticas. O Ministério do Meio Ambiente lançou em 2009 a Política Nacional sobre Mudanças Climáticas, com o intuito de evitar o avanço desse problema. Dentro da lógica corporativa, o inventário de emissões é utilizado como dado estratégico para garantir uma prática sustentável.

A empresa consegue mais facilmente traças e alcançar metas de responsabilidade social, participar do mercado de emissões de GEE, prestar contas aos órgãos ambientais e aos acionistas, ou mesmo desenhar processos menos poluentes e com custos otimizados.

Podemos ainda citar o reconhecimento que a empresa recebe do mercado, tando do fornecedor quanto do consumidor, como uma organização preocupada com o impacto ambiental de suas atividades. Existe também a oportunidade estimar os impactos socioambientais de longo prazo e considerá-los no planejamento financeiro.

Sem falar que atitudes exemplares servem de incentivo para práticas sustentáveis em todo o mercado.

Leia outros informativos da Soul Ambiente!